O BÁLSAMO DE FERRABRÁS


Lênin

Não era necessariamente alguém, era o gato que estava na sacada da janela, e de algum jeito, havia chegado lá sem fazer nenhum barulho. O coração de Mariela disparou quando viu aquelas duas únicas luzes brilhando na escuridão, os olhos do gato. Conteve um grito, não havia reparado como as pernas dela estavam bambas e como apertava o medalhão com força.

Passado o susto e com as pernas da menina parecendo fazer parte dela novamente, Lênin ainda estava na janela, parado, olhando, não para a menina, mas sim, pra o que ela tinha na mão.

Desde a ida na casa abandonada o gato não havia demonstrado nada de anormal, ao contrário, até parecia evitá-las, principalmente quando Jolie estava perto, o que agora era constante. Não que ela fizesse questão da presença do gato, mas antes, ele sempre dava um jeito de ficar por perto, a situação era no mínimo estranha. E agora ele estava lá. Percebeu o que já sabia, não era Mariela a quem ele evitava, mas sim, Jolie. Queria chegar perto quando a amiga não estivesse por perto, certamente àquela era a hora. Mariela tinha a sensação que o gato, se ele pensar, estaria pensando a mesma coisa que ela. Teve certeza logo depois.

Lênin se jogou direto no chão, caindo como uma pluma. Mariela foi até a janela pra ver aonde o gato ia, mas ele ainda estava lá, no chão, olhando para cima, os olhos dele davam diretamente na menina, parecia chamá-la, ao menos, foi o que ela entendeu. Ainda ficou parada para ver se o gato se movia, mas ele nada fez, parecia esperar, esperar Mariela.

A menina entrou no quarto e as pernas dela começaram a tremer de novo, de medo, mas era pura ansiedade. Não estava acreditando que ia realmente fazer aquilo, mas ia. Calçou rapidamente o chinelo de dedo que estava em baixo da cama dela e vestiu o casaco jeans que ganhou da avó no aniversário do ano passado, desceu sem fazer barulho para não acordar o avô.

Quando desceu, Lênin ainda estava no mesmo lugar, mas sem olhar para cima. Ela abriu a porta e fechou cuidadosamente, depois foi até o gato. Ele saiu em direção à rua mal iluminada, olhando para traz apenas uma vez para se certificar que ela ia seguindo-o. Mariela agora, já com frio e arrependida, pensava em como seria bom ter uma arma. Veio um vento congelante, ela se agarrou ao casaco, prestando atenção para não perder Lênin de vista e com o medalhão ainda na mão.

12 Response to "O BÁLSAMO DE FERRABRÁS"

  1. malvada-online.com Says:

    é um livro? essa historia é parte de um livro?

  2. Carol Says:

    Oiie passando só pra desejar uma boa semana!
    beijos

  3. Ivi Derzi Says:

    Lindo, lindo!
    Ainda quero acompanhar tudo!

    Beijo ;*

  4. Arsênico Says:

    olha... layout novo... que tudo... adorei...

    ***

  5. Max Psycho Says:

    é um livro? essa historia é parte de um livro? (2)

  6. maah ribeiro Says:

    bgd pelo comentário no meu blog. eu adorei o seu, de verdade :)
    a história é um suspense? e que livro é esse?

    vou seguir seu blog, se quiser faça o mesmo com o meu ;D

    :*

  7. Pahnela Says:

    que lindo isso aqui é *_*
    e ah, eu tô seguindo vcs :*

  8. e.suruba Says:

    é um livro sim!
    sou eu quem escreve...se quiser acompanhar todo, é só clicar na foto do lado onde tem a imgem da capa

  9. •.¸¸.ஐBruneLLa França Says:

    Vontade de ler mais... Sem parar!

    Beijos e borboleteios

  10. Gabriela Says:

    ai que triste,mas tô gostando!

    sobre o nome do blog: é devido ao meu excesso de sensibilidade.E a porcelana é algo frágil do ponto de vista do impacto.

    Um beijo

  11. Daniel Savio Says:

    E o mistério começa...

    O que os três personagens tem em comum: o gato que parece saber mais do deveria (e nota, não usa botas), uma evangélica que canta opera a noite (e talvez use coisas ilegais para dar um barato) e uma amiga que está sempre por perto que sabe algo sobre certo cordão...

    Hua, kkk, ha, ha, desculpa se peguei pesado.

    Mas a história está legal.

    Fique com Deus, galera.
    Um abraço.

  12. Gii Says:

    Maravilhosoooooooooo!
    Vou esperar ansiosissima pela continuação!

    E.Suruba, meus parabéns, vc é uma bela escritora =D