O Circo

Uma canção pode ser ouvida
Ela vem através de um rádio
Tão distante quanto eu, ou você duvida?
Eu já andei por muito tempo
Apenas procurando um lugar que fosse meu
Eu caminhei contra o vento
Até perceber que o castelo de cartas me envolveu

A canção fala onde estão os sonhos que já sonhei
E pra onde eles foram quando eu acordei
Para viver mais um dia no castelo de cartas


Alguém desamarre as cordas que me prendem
A água está subindo e eu sei que vou me afogar
Alguém destrua o espetáculo e cesse a mágica
Não há nenhuma lógica em me fazer esperar...

A música fica mais intensa e um garoto parece querer me ajudar
Mas ele é tão imaturo quanto os outros que pagaram para entrar
Na tentativa de sorrir a me ver como palhaço chorar
Eu vou incendiar tudo a minha volta! E todos irão queimar!
Começando pelo castelo de cartas

Minha maquiagem é pesada e você não pode me reconhecer
Nada é tão espontâneo e simples com costumava ser
Um dia eu vou ser livre para espalhar todas minhas cores
E todas elas formarão uma maré gigantesca que cairá em você

15 Response to "O Circo"

  1. Bah Says:

    "Minha maquiagem é pesada e você não pode me reconhecer
    Nada é tão espontâneo e simples com costumava ser
    Um dia eu vou ser livre para espalhar todas minhas cores
    E todas elas formarão uma maré gigantesca que cairá em você"

    Nossa, essa foi produnda! *-*

    Muito lindo! Parabéns!

    Meu beijo ;*

  2. Max Psycho Says:

    ae cara ainda bem que tu voltou, seus poemas são bem fodas, abrass rapá

  3. .ana Says:

    esse teu jeito de escrever é tão diferente, tão... surrealista!
    a imagem ali tb! hehhee

    bjos!

  4. *+ButterflY PrincesS+* Says:

    Concordo com a Ana. Surrealista. Dá asas a nossa imaginação. Gostei muito do poema. Pra quem detesta estudar, vc eh muito inteligente... rs Meu tema de hoje eh justamente a educação...rs Ahhh seja bem vindo a nação tricolor. rs ;**

  5. Déia Says:

    Muito bonito! Adorei!
    Bjs

  6. Nara Sales Says:

    Que desabafo. Um dia todos nós cansamos da máscara que carregamos. Do papel que costumamos representar. Joga tudo pra fora.
    Um beijo.

  7. Camila Colossi Says:

    Não há nenhuma lógica em me fazer esperar

    veei tbm não sei pra esperar por exemplo o amor *-*
    odeio esperar kkk

  8. Mariposo-L Says:

    Ahhh é você o criador daquele selo infame ..kkkk valeu :)

    Adorei seu poema :)

    Um abraço

  9. Hoshi Lamperouge. Says:

    huun... bom post. :D
    muito bem escrito, ou nesse caso, digitado. ^^

    -
    www.imperiodosolnascente.blogspot.com

  10. Max Psycho Says:

    Um abrass grande meu camarada e continua escrevendo estes posts muito fodas

  11. Aline Says:

    Estou devendo a postagem do selinho Stefhany. Juro que logo mais vou cumprir!

  12. GueGue Says:

    ficou lindo!!!! beijoss

  13. Cris (a senhorita) Says:

    Oi! Vim retribuir o comentário e me desculpar pela demora!
    Quero avisar que agora a senhorita está no utiliblog gente! Depois passem lá!
    E a causa da minha demora para passar aqui é exatamente a porcaria da escola! E hoje eu não podia sair sem dizer que o título do blog de você é a perfeita para ser usada nesse momento! Gente eu confesso estou detestando estudar!!!
    Beijos e passem no utiliblog!^^

  14. Natty Says:

    Um dia as cordas iram arrebentar sozinhas, com a sua própria força, sem a ajuda de ninguém. Você é capaz.

    Sucesso pra nós. beijos

  15. Daniel Savio Says:

    Hua, kkk, ha, ha, que momento Nero (de tacar fogo em tudo) foi aquele na quarta estrofe?!

    Mas devo concordar que o texto está bonito...

    Fiquem com Deus, menino Atreyu e galera.
    Um abraço.